Contos e Relatos Dourados

Ir em baixo

Contos e Relatos Dourados

Mensagem por Rick WT. em Dom Out 08, 2017 10:09 pm

Pessoal, vamos compartilhar nossos relatos e contos eróticos aqui!

Vai servir de dica e inspiração para nós adeptos e curiosos nessa prática gostosa.
avatar
Rick WT.

Mensagens : 6
Data de inscrição : 23/08/2017
Localização : Salvador - Bahia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos e Relatos Dourados

Mensagem por Rick WT. em Dom Out 08, 2017 10:16 pm

Deixei Ela Apertadinha e Acabei Bebendo o Seu Xixi


Sou de Salvador, tenho 29 anos, sou tarado em fazer sexo oral e também tive uma namorada de 28 anos que era muito safada e adorava ser chupada por mim. Se houvesse alguma situação ou lugar em que eu pudesse chupa-la, ela abaixava a calça ou levantava o vestido para eu meter a língua. Sempre curti chuva dourada, porém, nunca tinha pedido a ela antes.

Ela ficava envergonhada ou criava um pouco de resistência quando a buceta estava mijada ou peludinha, porém, quando eu dizia que queria dar uma chupada para ela gozar na minha boca, ela não aguentava e abria logo a buceta na minha boca. Nunca me importei com essas coisas, sempre gostei de chupar uma buceta “do jeito que estava”.

Muitas vezes, quando chegávamos de alguma saída, eu a pegava de surpresa e a chupava como estava, isso tudo para que ela não tivesse tempo de ir ao banheiro e eu pudesse chupar aquela xaninha mijada.

Certa vez, estávamos em um barzinho com uns amigos. Nós sempre tomávamos muita cerveja e, por isso, ela ia diversas vezes ao banheiro. Nossos amigos já haviam ido embora e ficamos por ali mais um tempo juntinhos. Era cerca de 1h da manhã e após mais uma cerveja resolvemos encerrar a conta. Enquanto eu estava a esperar a comanda ela foi ao banheiro, pois, estava apertada para fazer xixi.

Pouco tempo após pagar a conta, ela voltou dizendo que a fila do banheiro estava grande, e que iria segurar e deixar para fazer xixi em casa. Naquele momento, fiquei logo excitado e imaginando em como estaria a buceta dela.

Durante a volta para casa, ela pedia que eu parasse o carro e ela pudesse fazer xixi em algum lugar na rua, porque não estava se aguentando e já tinha escapado algumas gotinhas de xixi ali. Mas, como eu não queria perder aquela mijada, eu dizia que era perigoso parar na rua naquele horário.

Ao chegarmos a casa, ela foi em direção ao banheiro, quando a interrompi empurrando-a contra a parede, onde começamos a nos pegar. Eram beijos fortes e cheios de vontade, ela estava de vestido, e enquanto beijava, invadi a calcinha dela e fiquei massageando o seu clitóris fazendo leves movimentos com dedo médio.

Parei de beija-la e me ajoelhei. Olhei para ela com um sorrisinho safado, ela retornou o olhar da mesma maneira. Em seguida, eu abaixei a sua calcinha, abri levemente sua buceta e fui encaixando a minha boca, começando a chupa-la ali mesmo, ela em pé e contra a parede.

As chupadas foram ficando intensas. Ela deitou no chão, enquanto eu continuava a chupar aquela buceta, que estava encharcada e bem salgadinha por causa das mijadas no bar. Mais uma vez, ela mudou de posição, ficando de costas para mim e foi sentando na minha cara, encaixando a xaninha na minha boca.

Nesse momento, eu a deixava sentir minha respiração quente, e logo depois comecei a passar a língua em seu clitóris, massageando-o suavemente e ao mesmo tempo dando umas sugadas.

Nesse momento, comecei a chupar mais forte a sua buceta, e ao mesmo tempo, ela esfregava gostoso na minha boca. Como ela ainda estava com a bexiga cheia, começou a escapar um xixizinho na minha boca, eram pequenos jatos quentinhos e misturados com o seu gozo. Eu não queria parar de chupar aquela buceta por nada! Continuei cada vez mais naquela situação, sugando e bebendo aquele mijo gostoso que ela deixava escapar, e ao mesmo tempo, massageava o grelo dela dando umas sugadas como se estivesse mamando.

Pelos gemidos e a força dos movimentos, percebi que ela estava começando a gozar. Foi quando começou a soltar fortes jatos de xixi na minha boca. Eu rapidamente tratava de engolir tudo, sem deixar desperdiçar nada.

Após terminar de mijar e gozar, ela continou em cima de mim e ficou esfregando levemente a buceta dela na minha boca, enquanto dava uma risadinha com uma carinha de safada e aliviada.

Depois desse dia contei a ela que gostava de chuva dourada e ela confessou ter adorado aquele momento e aquela sensação. A partir daí, fomos fazendo mais vezes e os orais ganharam um complemento.

Autor: eu mesmo
Disponível em: http://www.casadoscontos.com.br/texto/201708720
avatar
Rick WT.

Mensagens : 6
Data de inscrição : 23/08/2017
Localização : Salvador - Bahia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos e Relatos Dourados

Mensagem por Rick WT. em Dom Out 08, 2017 10:41 pm

Bebendo Mijo E Chupando Buceta Na Viagem de Ônibus


Estávamos eu e minha namorada em uma viagem de ônibus que duraria cerca de 7 horas, de Salvador para Ilhéus.

Para a nossa sorte, o ônibus era bem confortável e não estava muito cheio. Minha namorada estava só com um vestidinho, com uma calcinha curtinha e a xoxota peludinha.

Aproveitávamos bem a viagem, ficávamos nos pegando ali, uma mãozinha boba aqui e ali, e ela sempre me provocando. Ela adorava enfiar o dedo na buceta e passar na minha boca ou meu nariz, sempre falando para eu sentir o cheiro ou o gosto. Adorava lamber aquele dedo de buceta!

Ela bebia muita água e sempre ia ao banheiro diversas vezes nas paradas do ônibus, pois não havia um banheiro nele.

Na última parada o motorista avisou que iríamos viajar por mais três horas todos deveriam comer ou ir ao banheiro antes, pois não haveria parada. Minha namorada não estava com vontade e por isso apenas paramos para comer e beber.

Eu estava cochilando, quando ela me acorda agoniada:

- Rick, to apertada pra fazer xixi , será que vai demorar muito para chegar?

- Ihh Sáh, vai demorar sim, o ônibus só vai parar daqui a duas horas...

- O quê? Eu não vou aguentar não, estou muito apertada! Tem alguma garrafa aí, algum pote?

- Não tem nenhum pote aqui para você mijar, mas eu posso dar um jeito...

- Ah meu Deus! O quê? Que jeito?

- Você pode mijar aqui na minha boca...

(dando uma risadinha safada ela respondeu)

- Tá louco? Alguém pode acabar vendo e também minha xoxota tá peluda e mijada de antes, não vou deixar você pôr a boca aqui...

Foi depois disso que comecei a insistir, pedia para que ela mijasse na minha boca, pois ao mesmo tempo queria a buceta dela do jeito que estava.

Ainda estava anoitecendo e como não havia ninguém do nosso lado, saí do meu lugar e fui para a frente dela, abaixei e fiquei de joelhos.

Ela só fazia rir e falar o quanto eu era louco. Fui chegando perto e afastando as pernas dela para cada lado. Fui afastando a calcinha dela e chegando perto com o rosto, já sentia aquele cheirinho gostoso daquela buceta.

Mal fui me posicionando, ela veio empurrando minha cabeça para mais perto e fala: Bebe tudinho então! Não deixa cair nada...Encaixei minha boca e ela foi fechando os olhinhos, começando a se aliviar.

Ela começou a mijar na minha boca, saiam jatos finos e leves que logo foram engrossando e aumentando a força. Era gostoso ouvir aquele som do xixi caindo na minha boca. Ela deu uma rápida parada e pediu para abafar mais a buceta com a boca, ainda estava receosa de alguém ouvir o barulhinho do xixi.

Posicionei melhor a boca na buceta dela, respirei forte e falei: Mija com tudo agora!

Ela, sem qualquer tipo de pena ou controle, começou a mijar mais forte que antes. Eu estava quase para engasgar, tive que engolir o mijo bem rápido para não deixar cair também, ainda sim escorreu um pouco no meu queixo.

Ela então parou um pouco e eu aproveitei para respirar. Porém, ela ainda queria mijar mais! E foi dizendo: Não acabou não, coloca a boca aí de novo que tem mais um pouquinho...

Ao encostar a boca mais uma vez, passo a língua na buceta dela antes, só para dar uma enxugadinha e não respingar no banco. Ela então foi soltando mais xixi...

O xixi estava ficando fraquinho e eu podia engolir mais devagar, logo percebi que estava terminando.

Foi nessa hora que eu aproveitei e comecei a sugar a buceta dela. Foi uma sensação inexplicável! Eu Sugava a buceta dela e bebia seu mijo. Nisso ela olha pra mim com uma expressão cheia de tesão e fala, baixinho e abafado para mim: CA-RA-LHO....

Quando então o xixi terminou. Tirei a boca da buceta dela, olhei para ela e sorri. Antes dela pensar em ajeitar a calcinha, cheguei perto de novo, abri a buceta dela e lambi debaixo para cima, bem devagar e pressionando a língua.

Eu queria aproveitar aquele momento para sentir aquela buceta mijada e molhadinha. O gosto e o cheiro dela eram incríveis!

Fui me preparando para levantar e nessa hora ela segurou minha cabeça e pediu baixinho pra mim: Chupa mais um pouquinho, vai...

Não aguentei e comecei a chupar mais! Eu enfiava a língua dentro da buceta e com ela trazia o melzinho até o clitóris. Lambi sua virilha e até passei a língua em seus pelinhos que estavam.

Minha boca, bochechas e meu queixo já estava todo lambuzado daquela mistura de xixi com o melzinho da buceta dela, e eu não queria parar de chupar!

Apertei a alavanca para inclinar mais o banco, ela se ajeitou e então eu puxei suas pernas para frente, me inclinando para que minha língua pudesse alcançar o seu cuzinho também.

Ela havia se molhado tanto ali embaixo que o mel foi até para o cuzinho, que eu aproveitei e lambi muito! Rodeava ele com a língua, massageava e voltava a chupar a buceta.

Tudo o que eu queria naquele momento era matar a minha sede dela, por isso eu sentia cada pedaço, gosto e cheiro daquela buceta gostosa.

Chegou uma hora que ela empurrou a minha cabeça contra a sua buceta e começou a esfregar forte. Eu respirava rápido para não perder o fôlego. Nesse momento ela acabou dando alguns chutes sem querer na cadeira e, ao olhar para ela vi que estava abafando a boca, fechando os olhos e abafando um gemido.

Foi então que ela ficou amolecida, parou de segurar minha cabeça, suspirou e me olhando com uma cara bem safada sussurrou: gozei...

A buceta dela estava mais meladinha ainda. Foi então que que havia chegado a hora de seca-la. Fui passando a língua nos cantinhos, depois tirei e fiquei lambendo de cima para baixo. Lambendo e bebendo aquele gozo salgadinho misturado com mijo. Fui dando umas sugadinhas e passando a língua, quando ficou bem sequinha. Parei e dei um beijo na buceta dela.

Sorri, limpei minha boca e meu queixo esfregando na calcinha dela e voltei para minha poltrona, realizado por beber o seu mijo, chupar a buceta dela, levar uma gozada na boca e ainda enxugar.

Depois disso passamos a viagem rindo e conversando sobre a loucura que fizemos.

Autor: Eu mesmo
Disponível em: http://www.casadoscontos.com.br/texto/201709298
avatar
Rick WT.

Mensagens : 6
Data de inscrição : 23/08/2017
Localização : Salvador - Bahia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos e Relatos Dourados

Mensagem por Rick WT. em Dom Out 08, 2017 11:09 pm

Xixi Na Praia Pela Noite


Eu estava uma noite com dois amigos no bairro do Rio Vermelho, um dos bairros mais boêmios de Salvador. Era cerca de 21h00, estávamos sentados em uma mesa, onde bebíamos e jogávamos conversas fora.

Ao nosso lado, havia uma mesa com 3 garotas que deveriam ter a mesma faixa de idade nossa, cerca de 24-27., nessa época eu estava com 24 anos. Elas também estavam bebendo e se divertindo bastante.

Como as mesas estavam próximas, dava para ouvir algumas coisas da conversa delas. Em um desses assuntos, uma das meninas que se chamava Camila relatou ter experimentado um fetiche que gostou muito, chuva dourada!

Ouvi alguns trechos, a Camila falava que sempre mijava no corpo do namorado, na boca dele e que ele já tinha bebido o seu xixi diversas vezes. Uma das meninas (que eu não me recordo o nome) ficou cheia de nojinho, porém outra achou interessante e disse ter ficado curiosa. Essa menina, a quem irei me referir através do seu apelido, era a Sáh.

Tanto a nossa mesa quanto a delas estavam bem animadas então, um amigo meu, que não tem timidez alguma, as chamou para juntar as mesas e conversar conosco, elas toparam e ficamos lá bebendo e conversando.

Várias foram as conversas, mas eu e a Sáh não parávamos de trocar olhares e conversar algumas coisas entre a gente. Estava claro que um queria algo com o outro naquele momento. Ela era muito gata, e estava com um vestidinho branco e um pouco curto que prendeu demais a atenção.

Resolvi chama-la para conversar em um local um pouco reservado, todos já notavam a nossa intenção, e fomos para outro lado da região das mesas. Ali conversamos umas besteiras e logo fomos aos beijos. Foram beijos sedentos e gostosos! Ela beijava muito gostoso, um beijo que já me deixou bem excitado!

Estávamos ali nos pegando gostoso e já com um tesão. Foi então que a Sáh disse que estava apertada e precisava ir ao banheiro. Dali onde estávamos dava pra ver que a fila do banheiro estava um pouco grande. Cheio de tesão e pensando em mais coisas, sugeri descermos para a praia, que fica ali pela frente, para que ela pudesse fazer xixi por lá.

Ela relutou um pouco, dizia estar com vergonha por eu leva-la para mijar já na primeira vez em que nos conhecemos, mas eu insisti e fomos. Descemos as escadas e chegamos para um canto escuro na areia.

Não dei tempo para ela, antes de qualquer coisa começamos a nos pegar de novo. Fiquei de costas para a parede e pressionei-a contra mim. Como ela estava de vestidinho, já fui passando a mão em sua calcinha e encostando os dedos em sua buceta que já estava bem molhadinha.

Dava para perceber que ela estava com muito tesão pela intensidade de como me beijava e reagia a cada toque meu.

Em um momento ela me interrompeu e disse: Rick, para só um pouquinho aqui, eu só preciso fazer um xixi primeiro para continuar isso.

Foi então que me lembrei da curiosidade dela em experimentar chuva dourada e fiquei com mais tesão ainda falei em tom de brincadeira: Huuum, vai é? Faz aqui na minha boca? Vou adorar...

Ela então mudou a sua expressão de apertada para uma de safada e falou: Tá certo abaixa aqui então!

Nem acreditei que ela topou de primeira. Abaixei-me e fiquei de joelhos onde estava, enquanto ela veio abrindo as pernas e chegando perto do meu rosto. Ela abaixou a calcinha, abriu a buceta e, mirando no meu rosto falou: Vou mijar!

De primeira soltou um esguicho rápido que escorreu pelo meu queixo e molhou um pouco da minha camisa. Logo depois foi soltando um jatinho que estava saindo sem uma direção certa. Foi então que, para não perder nada, coloquei a boca bem de perto e fui bebendo.

O xixi estava bem quentinho e gostoso! Pude sentir o cheiro da buceta dela também, que estava forte de xixi. Aparentemente ela já havia dado outras mijadas quando começou a beber.

O xixi continuava forte e escorreu mais um pouco pelo meu queixo. Teve uma hora que ela começou a dar umas leves reboladinhas, quando estava ficando mais fraco. Foi quando ela terminou.

Ela olhou pra mim rindo e falou:

- Pronto, terminei e adorei essa mijada...

- Que bom, só espera um pouquinho que eu ainda não terminei, deixa eu te secar agora.

Me levantei e pedi para que ela trocasse de lugar comigo e ficasse encostada na parede. Abaixei mais uma vez e abri a bucetinha dela com as duas mãos para dar chupar gostoso.

Comecei a passando a língua de cima pra baixo, como se fosse um papel para secar. Olhei para ela e ela estava com os olhos fechados e olhando para cima, olhinhos fechados e gemidos gostosos, ela estava curtindo aquilo demais! Foi então que chupei mais gostoso ainda. Esfregava meu rosto, chupando e lambendo cada cantinho daquela buceta gostosa.

O celular dela tinha tocado, eram as amigas dela chamando para ir embora. Foi então que nos apressamos mais um pouco... Eu sugava e roçava a língua nela e então percebi que ela começou a gozar, não disfarçou os gemidos e empurrava a xoxota contra a minha cabeça. Esfregou levemente no meu rosto e, para finalizar dei uma lambida de baixo para cima.

Levantei e falei: É, acho que talvez você não queira me beijar por agora... Foi quando ela me puxou e me deu um beijo gostoso, provando o seu próprio gosto.

Depois ela se ajeitou e falou que adorou aquela loucura, dizendo que queria fazer mais vezes. Voltamos até a mesa, trocamos contatos e nos despedimos.

Não havia dado tempo naquele dia de ter transado, porém bati uma punheta gostosa quando cheguei em casa, sentindo o cheiro da buceta dela que havia ficado no meu rosto e nas minhas mãos.


Autor: Eu mesmo
Disponível em: https://www.casadoscontos.com.br/texto/201710233
avatar
Rick WT.

Mensagens : 6
Data de inscrição : 23/08/2017
Localização : Salvador - Bahia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos e Relatos Dourados

Mensagem por trumpamisto em Dom Nov 19, 2017 4:43 am

Se os relatos aqui partilhados forem mesmo verdadeiros, é material para um valente episódio de literatura ou de um romance. Ao mesmo tempo, fico com a imaginação despertada para algo mais... Começo pensando em uma situação envolvendo mais misticismo e artes ocultas... De certeza que é algo a explorar...

trumpamisto

Mensagens : 3
Data de inscrição : 18/11/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Contos e Relatos Dourados

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum